Redes de Varejo no Brasil

O Brasil ainda não possui Redes de Varejo que tenham celulares com marca própria, mas sem dúvida vai ser bem-vindo se as empresas trabalharem nessa linha. Mas na Inglaterra as lojas de verejo. A Rede de Supermercados Tesco lançou recentemente um plano para quem compra celulares de sua marca. Sim, quem comprar celulares da marca Tesco. Na Europa, as cadeias de varejo e supermercados vendem telefones celulares próprios e estão mordendo uma boa fatia do mercado que anteriormente eram clientes das operadoras tradicionais.

Vamos aos números:

Rede Varejo ALDI:
Usuários: 3,8 milhões
Faturamento Mensal: 90 milhões de euros

Rede Varejo TESCO:
Usuários: 2 milhões
Faturamento Mensal: 51 milhões de euros

Rede Varejo TCHIBO
Usuários: 500 mil
Faturamento Mensal: 12 milhões de euros

Em ingles eles chamam isso de MVNO (significa Operadora Móvel Virtual) – Usando essa estrutura, as empresas não constoem suas próprias infraestrutura mas alugam as já existentes e vendem celulares com suas próprias marcas.

John Strand, um dos mais renomados consultores de telefonia móvel do mundo, que estará em São Paulo para o 12º Forum de Varejo da América Latina, em 22 e 23 de setembro, já anuncia que isso será possível no Brasil. “Você poderá entrar nas Casas Bahia e comprar um celular da mesma marca” afirma ele.

Conhecer o cliente é uma grande vantagem para se vender um produto – e as pesquisas já se convencer que os Supermercados de Varejo conhece bem mais o cliente que as Operadoras.  Assim os planos podem ser mais individualizados e o consumidor também ganha.

“Esta é uma tendência irreversível e representa uma mudança de paradigma no mercado de celular”, afirma John Strand.

Sem dúvida, a concorrência sempre foi responsável por quedas que variam de 30 a 50% nos preços de produtos e serviços. O carrefour por exemplo, já possui uma infinidade de produtos com sua marca  e com certeza até por ter uma mente não presa somente no Brasil pode ter aberturas para acelerar o processo.

Até Breve

Deixe uma resposta