em Geral

O Dalit Hari – Cadu Paschoal quer ir à Índia

Hari – Cadu Paschoal interpreta um dalit na novela Caminho das Índias, o garoto de apenas 12 anos não tinha imaginação da repercursão a que deu seu personagem. “Sinceramente, tia, eu achei que fosse aparecer pouco ou sumir logo, porque as pessoas não entenderiam direito essa coisa de dalit”, desabafa o garoto. “Mas, caramba, me surpreendi. Os capítulos chegavam, e as cenas só aumentavam!”

Cadu conseguiu fazer do Hari um dos personagens que mais atrai a atenção dos telespectadores da novela. Contando com Bahuan (Márcio Garcia) usado para mostrar os “troncos e barrancos” que enfrenta os preconceitos bem mostrado na novela pela autora Glória Perez, ficou um pouco atráz dos efeitos causados pelo pequeno Hari com aquele olhar longe, incerto, receoso e se sentindo realmente como “poeira dos pés”.

Cadu Paschoal confessa: “A cena que me deixou mais nervoso era com o Tony Ramos. Eu nem ia falar nada – aparecia varrendo, e ele me mandava sair. Cheguei no Projac passando mal…”

Ele é filho de um motorista de ônibus e uma dona de casa, desde os 5 anos ele vem trabalhando como ator e tem três peças de teatro e um filme (O Guerreiro Didi e a Ninja Lili, 2008) no currículo. Ao vencer um teste para atuar como Hari virou uma a sensação da escola onde cursa o 7º ano, em São Gonçalo, no Rio.

“No início, foi uma febre. Vinha até gente de outras escolas me conhecer. Agora está mais tranquilo. Eles querem saber tudo sobre os bastidores, como são os atores e tal”, conta ele.

Satisfeito com seu primeiro trabalho em novela, não tem dúvida em seguir a carreira em todas oportunidades. Mas, agora, seu maior desejo é conhecer a Índia de verdade – já que o Hari perambula pela Índia cenográfica do Projac. “O Tony e o Lima (Duarte) contaram que lá é magnífico!”

Agora, cá entre nós, todos aqui esperam que na reta final da novela, se acentue o namoro de Hari e Anusha (Karina Ferrari). “Pelo que pesquisei, o romance deles é proibido, não pode. Mas tomara que eles consigam namorar e se casem no futuro, sei lá.”

Cadu virou menino propaganda do Criança Esperança em 2009

A essa realidade dramática dos excluídos indianos bem me parece acontecer aqui no Brasil, só não vê quem não quer.

Até Breve

Deixe uma resposta