Google e os Manuscristos do Mar Morto

O acordo entre o Google e Jerusalém podem melhorar ainda mais as informações sobre os Manuscritos do Mar Morto. Direto da Terra Santa. O departamento israelense de Antiguidades e o gigante americano da internet Google anunciaram nesta terça-feira o lançamento de um projeto para divulgar, na internet, os manuscritos do Mar Morto, que contêm alguns dos mais antigos textos bíblicos.

Não foi tão barato assim, a quantia pra arcar com tão ambicioso plano, teve o custo de 3,5 milhões de dólares (2,5 milhões de euros), tem por objetivo disponibilizar gratuitamente esses documentos, que possuem cerca de 2 mil anos.

“É a descoberta mais importante do século XX e vamos compartilhá-la com a tecnologia mais avançada do século XXI”, afirmou a responsável pelo projeto do departamento israelense de Antiguidades, Pnina Shor, em uma coletiva de imprensa em Jerusalém.

A administração israelense captará imagens em alta definição utilizando uma tecnologia multiespectral desenvolvida pela NASA, a agência espacial americana. As imagens serão, posteriormente, publicadas na internet pelo Google em uma base de dados e traduções dos textos colocadas à disposição.

Mais calma aí, não é tão simples quanto se pensa. Todos que possuem internet poderão ver as imagens, no entanto as primeiras imagens estarão disponíveis nos próximos meses e o projeto terminará em cinco anos.
Ao todo, os 900 manuscritos encontrados entre 1947 e 1956 nas grutas de Qumran, no Mar Morto, constituem uma das descobertas arqueológicas mais importantes de todos os tempos. Estamos no aguardo.

Fonte: AFP/ Enquanto Isso
Até Breve!