em Geral

Estupro Corretivo, Lésbica sofre estupro para receber cura

Estupro Corretivo. A lésbica Millicent Gaika sobreviveu a mais de 5 horas de torturas tais como estrangulamento e estupro por um homem que tinha como objetivo cura-la de seu comportamento sexual.

O chamado “estupro corretivo” é uma prática na África do Sul que não leva o ofensor a ser condenado e isso deixa a questão muito aberta, pois a razão do estupro corretivo é para curar alguma mulher que seja lésbica. Elas são ameaçadas constantemente.

O caso de Millicent Gaika está agora atraindo a atenção das autoridades e de outros países para o assunto.

Na cidade do Cabo já existe um movimento que tenta mobilizar a população já colheu mais de 140 mil assinaturas forçando o Ministro enfrentar a mídia e a população em resposta ao ocorrido o que o mesmo ainda não se manifestou.

Estas ativistas que estão à frente do movimento, estão arriscando suas vidas na tentativa de solucionar a injustiça. Neste momento, elas estão precisando da ajuda de outras nações e movimentos reconhecidos multialmente a fim de que o Presidente Zuma tome atitudes necessárias de punição aos agressores até que com o tempo também a cultura vá se centralizando na pessoa e não nos atos.

Enquantoisso.com

Escrever comentário

Comentário

    Webmentions

  1. Jogadora da Seleção da África sofre estupro grupal

    […] recentemente outro “Estupro Corretivo” na África do Sul, onde um homem estrupa mulher por 5 horas para cura-la de lesbianismo. O […]

  2. O que é Estupro Corretivo

    […] TweetEstupro Corretivo é um comportamento diabólico e insano de pessoas que acreditam que ao estuprar uma mulher lésbica estará na verdade curando-a de seu lesbianismo. […]

  3. Estupro Corretivo na perspectiva sociocultural e religioso

    […] TweetEstupro Corretivo. Mulher sofre estupro para receber cura do lesbianismo conforme disse o estuprador. […]