Deborah Secco e amigas, prostitutas de laboratório

Nos bastidores do filme Bruna Surfistinha, trabalho feito por Claudia de Castro, com muito profissionalismo reuniu as “garotas de programa” do filme Bruna Surfistinha que estreia agora no fim de fevereiro para um lero-lero.

Aqui elas, descontraidamente e juntamente com Deborah Secco estão falando do filme, o papel que cada uma desenvolveu, mas também falam de suas vidas reais, como e o que elas pensam sobre sexo, traição, drogas e fidelidade.

Tudo isto está ligado a nós, quer seja drogas, traição, sexo e coisas dessa natureza. A felicidade existe para aqueles que estão ilesos pelo menos diretamente, mas sempre temos esses problemas em nossa família ou ao nosso redor.

Insensato Coração

Bruna Surfistinha aos 17 anos se tornou uma profissional do sexo e viveu nos lugares mais baixos bem como os lugares mais luxuosos num enredo de sexo, traição, drogas e algo mais. O assunto é polêmico e continua mexendo com a cabeça do brasileiro por curiosidade ou por empatia ou mesmo estar vivendo o mesmo drama.

Neste momento são milhares de adolescente que estão no mesmo caminho e esperamos que o filme não seja incentivador, mas sim, orientador trazendo nas mentes desorganizadas maior responsabilidade ao tomar tais decisões.

Elas chegaram a serem confundidas com prostitutas quando faziam laboratório – tarefa obrigatória que faz parte do treinamento e aperfeiçoamento para que o filme seja mais próximo possível da realidade.

Até Breve

Deixe uma resposta