Copa do Mundo 1966: Inglaterra é campeã em casa

Ingleses derrotam Alemanha Ocidental na final – Depois de duas conquistas consecutivas, era impossível controlar o otimismo dos brasileiros. A torcida passou a acreditar que a seleção “canarinho” era imbatível e que a conquista do tricampeonato era certa. A presunção contagiou os dirigentes que negligenciaram a organização dos preparativos.

A Copa de 66 teve novo recorde de inscrições, com 70 países disputando as 14 vagas para as finais. O Brasil, classificado por antecipação, descuidou-se na fase preparatória. Paulo Machado de Carvalho, apelidado de “Marechal da Vitória”, pelo sucesso das campanhas que liderou em 58 e 62, foi afastado da chefia da delegação. No seu lugar, assumiu o próprio presidente da Confederação Brasileira de Desportos, João Havelange.

Inglaterra
Portugal iria enfrentar os donos da casa na semifinal. Os ingleses vinham fazendo uma campanha apenas razoável. Na primeira fase, a Inglaterra havia empatado sem gols com o Uruguai e em seguida venceu o México e a França pelo mesmo placar de 2 a 0, classificando-se em primeiro lugar no grupo 1.

Nas quartas-de-final, os ingleses conseguiram uma vitória apertada contra a Argentina, que teve o meio-de-campo Ratin, um de seus melhores jogadores, expulso, para muitos injustamente. Para o jogo contra Portugal, os ingleses conseguiram que a Fifa alterasse regulamento para levar para Londres a partida, originalmente marcada para Liverpool. Num jogo duríssimo, presenciado por quase 100 mil pessoas, a Inglaterra, comandada por Bobby Charlton, venceu Portugal por 2 a 1, classificando-se para fazer a grande final contra a Alemanha Ocidental, do jovem Beckembauer, que tinha derrotado a URSS também por 2 a 1.

Alemanha e Inglaterra fizeram um jogo equilibrado, que terminou com dois gols para cada lado, levando a final a ser decidida numa prorrogação. Na etapa inicial do tempo extra, o centroavante inglês, Geoff Hurst, acertou uma bola no travessão do goleiro Tilkowski. A bola quicou no chão e saiu. Depois de consultar o bandeirinha russo, o juiz suíço Gotffried Dieust confirmou o gol da Inglaterra, para desespero do time alemão.

Até hoje a jogada gera polêmica. O gol obrigou a Alemanha a partir para o ataque e a Inglaterra soube explorar o contra-ataque. No finalzinho da partida, novamente Geoff Hurst arrancou desde o meio do campo com a bola dominada e, da entrada da área, chutou para marcar o gol do título. Placar: Inglaterra 4, Alemanha 2, com três gols de Geoff Hurst.

Para delírio da torcida presente no estádio de Wembley, o capitão do time inglês, Bobby Moore, recebeu a taça Jules Rimet das mãos da rainha Elizabeth II. A Inglaterra foi campeã, mas o rei da Europa foi Eusébio. A ótima campanha de Portugal garantiu a Eusébio a artilharia do mundial, com 9 gols.

Fonte wikipedia e BBC Brasil

Até Breve

Deixe uma resposta