em Atividade Cerebral

Callcenter: “Nossa Estrada Ainda Não é Asfaltada”

Callcenter – “Alice no País das Maravilhas” é a obra mais conhecida de Lewis Carroll e uma das mais célebres do gênero literário nonsense. A obra literária inglesa conta a história de Alice que cai em uma toca de coelho e vai parar num lugar fantástico povoado por criaturas peculiares e antropomórficas.

Analogicamente essa é a promessa dos callcenters oferecendo um “país maravilhoso”.  Ao meu ver, sem dúvidas as “Alices” existem e não são poucas, mas esse país prometido ainda permanece nos sonhos daqueles que ouviram a história.

Callcenter – Tentativas do Governo:

O governo na tentativa de resolver problemas com o atendimento destas empresas formulou um lei praticamente impossível de ser atingida (o cliente permanecer apenas 1 minuto para ser atendida). Essa tarefa do “país das maravilhas” redundou em um desastre ainda não tão perceptível.

Ora, essas empresas possuem uma fila eletrônica incalculável (100 300, 600 pessoas na fila de espera para ser atendidos) o que você acha que as empresas de atendimento  estão fazendo com essa fila pra se livrarem das grande multas?

Callcenter

– Não precisa trabalhar lá e nem ter uma bola de cristal pra saber – basta tentar fazer algum tipo de solicitação, pois eu mesmo sou uma das vítimas, simplesmente você não consegue resolver o problema porque eles sempre estão em manutenção. Vou explicar:

Callcenter – As Filas:

Eles não podem ter fila de cliente – então redistribui para todas as áreas as ligações em que os atendentes de outros suportes que estão desocupados acabem absorvendo a fila. Como não conhecem todos os procedimentos da empresa e o treinamento em meio à situação é inviável e ainda estes atendentes nem tem acesso ao sistema pra resolver as solicitações, são orientados pela empresa a usarem a palavra mágica: “Manutenção” simplesmente para que a fila acabe.

Mas isso significa que dificilmente você conseguirá falar na área certa e resolver o seu problema.

Fica a pergunta: O que seria melhor? Ficar 40, 50 minutos ou até 2 horas ou mais na fila aguardando para ser atendido e correr o risco de resolver o problema ou ficar apenas 1 minuto e nem falar no setor correto?

Ao que parece o “País das Maravilhas” se existe ainda está longe e nossa estrada pra chegar até lá não é asfaltada.

Breve Regresso

Escrever comentário

Comentário

  1. Tenho uma amiga que trab em callcenter, todos os dias recebe palavrões, com se ela fosse a própria empresa….