Amor e Revolução, Novela do SBT revive história da ditadura no Brasil

Patrícia de Sabrit e Graziella Schmitt. Para marcar início da próxima novela do SBT – Amor e Revolução, a emissora promoveu um workshop com vários participantes do elenco tais como Luciana Vendramini, Joana Limaverde, Cláudio Cavalcanti, Marcos Breda e Antônio Petrin além de Patrícia de Sabrit e Graziella Schmitt.

Silvio Santos soube preparar o evento e melhor ainda, escolheu o tempo certo de investir na novela Amor e Revolução logo quando um mulher que passou pela perseguição sobe ao poder – Dilma Roussef nossa Presidenta.

Logo no primeiro dia, na entrada do evento, eles foram recebidos com um pelotão militar que a todos revistavam. O ambiente forrado de roupas típicas, com mobília original da época, vídeos e objetos como armas tudo em exposição colocando perfeição na recriação da época e dar um tom original à novela Amor e Revolução.

Até tiros foram disparados ao fundo do estúdio onde estavam. A preparação deixou bem clara que será uma produção bem trabalhada e uma trama cheia de ação e bem característica.

amor-revolucao

Um ponto marcante foi o depoimento de Luiz Ayrão, que durante a ditadura permaneceu preso por 4 dias abordando até as repressões à cultura evolutiva da época.

Já Ricardo Zarattini relatou as duas prisões que teve e como vivia na clandestinidade bem como as torturas que sofreu.

Carlos Russo Jr detalhou sobre a resistência aos militares e como eram treinados os militantes e guerrilheiros para resistir os militares.

Tudo indica que a novela será um retrato do passado que influenciou nosso presente.

Deixe uma resposta